A busca de sentido na vida é a principal força motivadora do ser humano!

Posted on by 0 comment image

A busca de sentido na vida é a principal força motivadora do ser humano!

sentido da vida

Viktor Frankl, um psiquiatra alemão que passou cinco anos em um campo de concentração nazista, sempre teve grande interesse pelo comportamento humano, mesmo durante os anos vividos no campo de concentração, relatou em seu livro “Em Busca de Sentido”, que com o passar do tempo observou que entre seus companheiros de prisão, aqueles que tinham uma esperança e davam um significado a suas vidas predominavam entre os sobreviventes da selvageria e da fome. No entanto, o prisioneiro que perdia a fé no futuro estava condenado a definhar e sua morte era eminente, pois não encontrava mais sentido em continuar vivendo.

Para Frankl, o homem não apenas reage de forma passiva às suas questões internas e externas, mas sim responde ativamente a estas. Quando escolhe dar uma resposta à vida, torna-se responsável pelo que vai ser e/ou acontecer no momento seguinte (Autorresponsabilidade).

A liberdade e a responsabilidade constituem as duas características essenciais dos humanos.

Viktor Frankl foi o fundador da escola denominada Logoterapia. O termo “logos” que significa sentido, e o termo terapia significa cura ou cuidado. Sendo assim, a cura efetivada através do sentido da existência humana bem como da busca de significado pelo próprio homem à sua vida. Para esta escola teórica, a busca de sentido na vida é a principal força motivadora do ser humano. A Logoterapia é a terapia centrada no sentido, vê o homem como um ser orientado para o sentido, no qual a motivação básica do comportamento é uma busca pelo sentido para sua vida; destacando que a procura pela significação é única e singular entre cada indivíduo e até entre cada momento, em um mesmo indivíduo: Cada pessoa é questionada pela vida; e ela somente pode responder à vida respondendo por sua própria vida; à vida ela somente pode responder sendo responsável. A Logoterapia prega que o ser humano possui uma vontade de sentido e a sua principal preocupação é estabelecer  e perseguir um objetivo e é esta busca que é capaz de dar sentido à sua vida.

Frankl nos ensinou que tudo que temos na vida pode ser tirado de nós exceto uma coisa – a nossa liberdade de escolher como responderemos à situação. É isso que determina a qualidade de vida que vivemos, como nos relacionamos com essas realidades, que tipo de significado lhes atribuímos, que tipo de atitude associamos a elas, que estado de espirito permitimos desencadear. A sobrevivência dele e de seus companheiros se deram principalmente pela capacidade de manterem-se ligados, cada um de forma singular, a sentimentos que lhes davam capacidade de transcender através do sofrimento os limites do campo de concentração,.

“A resposta ao sentido da vida é mobilizadora de forças vitais, enquanto a ausência de sentido é capaz de levar o indivíduo a uma condição muito mais propensa a enfermidades e ao sofrimento”.

Precisamos fazer viagem ao nosso interior e verdadeiramente descobrir as coisas que nos mobilizam, o que nos dá prazer, pois as vezes passamos a vida inteira fazendo coisas por obrigação, por sobrevivência ou para agradar os outros, e vamos esquecendo de nós mesmos, esquecendo aqueles sonhos de criança, do que queríamos ser quando crescêssemos. Nós tornamos pessoas desconhecias para nos mesmos.

E por isso eu gostaria de lhe convidar a fazer algumas perguntas a si mesmo: Qual o sentido da minha vida ? Qual meu propósito em viver? Qual minha Missão nesta vida? O que me faz levantar da cama todos os dias? Quais as razões me motivam querer viver mais anos e ser uma pessoa melhor? Quais são meus valores? Quais são as coisas que não quero abrir mão na minha vida? Ouça as respostas e entenda que “historinhas” você está contando a si mesmo que te impedem de conseguir ter a vida que sempre quis

Precisamos analisar quais são nossas habilidades, nossos pontos fortes, resgatar projetos pessoais e profissionais que eram e/ou são importantes, até para poder potencializar competências e desenvolver novas habilidades e atitudes. Melhorar nossa autoestima, autenticidade, liberdade e independência levando em conta aquilo que gosta e quer já sem a preocupação de viver um papel e viver em função de agradar aos outros, de não mais estar preso a opinião alheia, a ser congruente com seus valores.

Lembre-se: o que determina a qualidade de vida que vivemos, não é se somos ricos ou pobres, famosos ou anônimos, saudáveis ou doentes, e se o que determina nossa qualidade de vida é como nos relacionamos com nossa realidade e que tipo de significado atribuímos a ela, que atitude temos frente a estas realidades e o estado mental que nos permitimos ter.

Dica: super recomendo a leitura do Livro “Em busca de Sentido”

 

 

Category: Minuto Coaching+50

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.