Bom Senso de Humor abre portas, mentes e corações!

Posted on by 0 comment image

BOM SENSO DE HUMOR ABRE PORTAS, MENTES E CORAÇÕES!

www.frasesparaoface.com

(J. Clovis Dattoli)*

Quero refletir hoje sobre o bom senso de humor!

Trata-se de característica pessoal, no fundo uma habilidade, que deve merece toda atenção e todo esforço da nossa parte, pelos aspectos que passo a comentar. Senão vejamos!

É fácil notar o impacto positivo que nos causa um interlocutor que está de bom humor: mostra-se aberto, simpático, com astral em cima, sendo percebido mais positivamente, do que resulta angariar mais facilmente nossa simpatia, atenção e disponibilidade. E isso porque essa pessoa simplesmente está explicitando seu lado emocional, que soa, na percepção do outro, mais autêntica e até mesmo mais humana, se é que podemos falar assim.

Agora, pense no oposto, na pessoa que interage com você de mal humor, com semblante fechado, sem um sorriso nos lábios. Nesse caso, as portas da relação não se abrem (ou se fecham), pois esse interlocutor demonstra reserva, baixa receptividade, estar aparentemente na defensiva etc. Aliás, pode até mesmo ser percebido como pessoa de baixo astral.

Até aqui, nada de novidade, mas não custa estarmos atentos a isso!

Agora, lendo mais um trecho do excelente livro TED, falar, convencer, emocionar(Editora Saraiva), um retumbante sucesso de vendas do coach de comunicação Carmine Gallo, deparei com alguns dados, sacadas e opiniões a respeito da importância do chamado Bom Senso de Humor que significam reforço para nosso entendimento a respeito desse traço comportamental. Desses, destaco alguns dos pontos que me chamaram mais a atenção:

“…Dê ao seu público uma razão para sorrir. A técnica funciona porque…o senso de humor derruba defesas, deixando o seu público mais receptivo à sua mensagem. As pessoas também acabam simpatizando mais com você e têm mais chances de apoiar ou fazer negócio com pessoas de quem gostam.” (pg.188);

“O CÉREBRO ADORA UM BOM SENSO DE HUMOR”

O Doutor A. K. Pradeep é o fundador da NeuroFocus, uma empresa de pesquisa sediada em Berkeley que utiliza pesquisas neurológicas para descobrir como os consumidores decidem o que assistir e o que compar. ‘Em seu núcleo emocional, o cérebro de todos os seres humanos modernos é bastante parecido’… O senso de humor, ao que parece, é uma daquelas ferramentas para as quais o cérebro foi programado para responder…” (pgs. 191/2);

“O humor é uma forma de comunicação interpessoal, de modo que um bom senso de humor é uma importante habilidade social que em geral admiramos nos outros.” (pg. 193);

“De acordo com Rod A. Martin, professor de psicologia da University of Western Ontario, estudos demonstram que, quando encontramos pessoas com um bom senso de humor, somos mais propensos a atribuir outros aspectos desejáveis à personalidade dessas pessoas. Estudos revelam que as pessoas bem-humoradas são vistas como simpáticas, extrovertidas, atenciosas, agradáveis, interessantes, criativas, inteligentes, perspicazes e emocionalmente estáveis.” (193);

E aqui enfatizo uma revelação do livro que trouxe muito mais ênfase para o que sabíamos sobre a importância do bom senso de humor: “Quando sites americanos de namoro na internet perguntam aos membros qual qualidade eles consideram mais desejável em um parceiro, mais de 80% respondem ‘bom senso de humor’. Nas pesquisas, essa característica é muito mais importante do que grau de escolaridade, sucesso profissional ou atratividade física.” (pg.194).

E as evidências e opiniões a esse respeito prosseguem ao longo do referido livro de Carmine Gallo. Não é incrível?

Com isso, está mais do que claro que praticar o bom senso de humor – desejável atributo humano que se insere no contexto da inteligência emocional e da inteligência social – é habilidade significativa para facilitar boas relações interpessoais, para angariar simpatia e abertura por parte do seu interlocutor, sendo um dos ingredientes que contribuem decisivamente para uma trajetória de sucesso em todos os aspectos da vida. E como se trata de habilidade, pode ser desenvolvida e aprimorada continuamente por qualquer pessoa. Basta foco, determinação e disciplina. Não por acaso, esse é um desenvolvimento que precisa de alguma forma estar presente nos bons processos de personal coaching.

Reflita… E, porque não, torne-se cada vez mais bem-humorado!

Dattoli *J. Clovis Dattoli – É Palestrante e Coach. Exerceu destacados cargos como executivo e como conselheiro em importantes organizações públicas e privadas. http://www.clovisdattoli.com.brhttp://www.obemviver.blog.brjcdattoli@dattoli.com.br.
Category: Minuto Coaching+50

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.