Tese

Posted on by

Foram transformados em Artigos, separados por temas, de modo a facilitar a localização  e viabilizar a leitura,  parte do conteúdo elaborado na Tese de Mestrado de Coaching, com o tema: O Coaching Como Transporte Eficaz à Senioridade Plena e Feliz (172 páginas)defendida em Dezembro de 2014, na Florida Christian University – FCU, pela Master Coach Bette Maria.

Obs. Do mesmo modo em que são relacionadas no rodapé dos Artigos, as devidas referências bibliográficas e citações de autores e sites que serviram de fonte para a elaboração da Tese, fica proibido a cópia, impressão  ou reprodução,  de parte ou total, dos Artigos aqui postados, sem as devidas referência à Tese e sua autora.

INTRODUÇÂO

O aumento da longevidade populacional mundial preocupa, pois as pessoas têm ganhado mais anos de vida, graças às novas tecnologias, aos avanços da medicina, às melhorias das condições sanitárias, entre outros, porém, infelizmente temos assistido que os anos conquistados não significam ou garantem a manutenção da autonomia e independência, seja por um acidente, pelo acometimento de doença incapacitante ou diminuição na capacidade funcional. Trataremos na presente Tese, das particularidades desta terceira fase da vida, utilizando sempre a denominação Senioridade, pois mesmo com o aparecimento dos aspectos causados pelo processo natural de envelhecimento, queremos manter em destaque a possibilidade real de uma longevidade com qualidade de vida, onde a pessoa idosa, com planejamento e projetos, continuará a levar uma vida ativa, independente, digna, saudável, participativa  e prazerosa até a morte.

Não sabemos quanto tempo vamos viver, mas a capacidade de mudança e a resiliência são habilidades vitais, porque à medida que envelhecemos, novas oportunidades surgem e novos desafios nos confrontam, tornando fundamental permanecer fazendo escolhas, talvez mais até do que, ter vivido parte da vida de forma bem sucedida. O homem não foi feito para lidar com fatos da vida aleatória, precisa dar sentido à vida, precisa construir um projeto de continuidade e contribuição de sua vida, que não deve e nem precisa terminar com a aposentadoria da carreira, com problemas de mobilidade pessoal, ou a realização de uma idade determinada.

Neste momento específico da jornada, é necessária uma completa reelaboração da pessoa, estrategicamente reconectando valores fundamentais, que são seus princípios orientadores e descobrindo o que verdadeiramente lhe é importante. Isso só será possível, com um breve retrocesso ao passado, colocando luz sobre as situações ou relacionamentos difíceis, há muito escondidos no porão da alma e fazendo uma verdadeira faxina interna, perdoando a si mesmo e aos outros, aceitando que aquilo ficou no passado; não o atinge mais e honrando-se do percurso até o presente.

Após da realização dessa catarse, resultante do mergulho em seu interior e nas sombras de seu passado, a pessoa estará apta a deixar de lado aqueles valores e comportamentos não mais congruentes com sua missão de vida; estará liberta para processar uma análise realista do “aqui e agora”, com  a celebração das conquistas e da sabedoria atingida em sua caminhada de vida e está limpeza  possibilitará  a superação das características pessoais negativas, que precisam ser reformuladas. E o mais importante: sonhando, fazendo planos e projetos do que almeja para seu futuro, no seu estado pretendido. Envelhecimento estratégico é, portanto, estar consciente desta fase de transição da vida, estar em sincronização com as suas crenças fundamentais e ciente das escolhas que ainda tem que fazer para concretizar seu futuro.

Se por um lado, se não houver cuidados e um bom planejamento durante a vida, os males do envelhecimento, provavelmente, causarão a incapacidade funcional e/ou motora, debilidade física, dependência, falta de autonomia, impotência, doenças comuns à idade e outras doenças incapacitantes, depressão, o sentimento de inutilidade, entre outros. Estes fatores serão sentidos e percebidos, pela própria pessoa e pelos outros que convivem com ela, como danos irreparáveis, como um castigo das más escolhas feitas no decorrer da vida. O que levará muitos a sofrerem, chorarem, se arrependerem e alguns até se questionarão: É isso que a vida me reservou? Pra que continuar vivendo assim? Ainda encontrarei motivos para ser feliz? Há solução? E provavelmente a resposta será: Envelhecer é Sofrimento!

Por outro lado, pessoas que se cuidaram fisicamente, mentalmente, emocionalmente e espiritualmente e fizeram escolhas que possibilitaram melhoria contínua, independência financeira, realização pessoal e profissional; alicerçados em projetos e realização de ações durante a vida, que vivam harmonicamente com seus familiares ou optaram por viver em locais que tenham excelência no trato de idosos (com um corpo multidisciplinar como apoio) e aliando o Coaching, como estratégica cientificamente comprovada, visando uma existência contemplada com saúde, bem estar, alegria,  prazer  e vislumbrando a sabedoria, autenticidade, liberdade, autonomia, independência e completude, enfim,  fazendo jus a merecida recompensa  de toda uma vida;  terão motivos mais  que suficientes para afirmar com convicção: Longevidade é  Benção!

Como nos ensinam acertadamente os Mestres em suas citações:  Anthony Robbins: “É nos momentos de decisão que o seu destino é traçado” e  “Não existe Fracasso, existe somente Resultados” e   Henry Ford: “Se você pensa que pode ou se pensa que não pode, de qualquer forma você está certo”.

Assim é a Vida Real! A vida é feita o tempo todo de Escolhas e Decisões!  E certamente todos nós escolheremos (mesmo que inconscientemente) qual lema vamos Viver: Envelhecer é Sofrimento! ou Longevidade é Benção?

O propósito desta Tese é fazer um alerta, pois dificilmente aos 20,30 anos as pessoas se preocupam em como será sua vida dali algumas décadas, sabemos que os jovens têm a natureza inconsequente própria da juventude, querem viver o momento, o máximo possível, como se a vida fosse acabar amanhã; e infelizmente o tempo não perdoa, os anos passam voando e quando acordam um dia se assustam com os primeiros fios de cabelo branco ou as primeiras ruguinhas aparecendo e aí tomam um choque de realidade, pois não viram o tempo passar e nem se reconhecem mais diante do espelho. E uns, só “caem na real” ou quando adoecem de tristeza ou estão prestes a se aposentar.

Portanto, o que pretendemos através desta Tese é transmitir conhecimento e possibilidades, para que as pessoas façam suas escolhas, desde jovens, de maneira mais consciente, de que estão “plantando” ao longo da primeira fase de sua vida, os frutos que “colherão” quando elas estiverem na segunda fase, na Senioridade. Queremos guiar as pessoas através de 7 passos (capítulos), conduzindo-as a caminhos coerentes com uma “colheita farta de bons frutos”, sem esquecermos que elas têm o livre arbítrio e devem ser respeitadas, porque não há nada tão verdadeiro do que a Lei da Causa e Efeito: “Toda causa tem seu efeito; todo o efeito tem sua causa” e como sempre diz o Mestre Paulo Vieira: “Cada um tem a vida que merece”. Simples Assim!

No Passo 1, apresentaremos alguns aspectos da Senioridade no Brasil e no mundo e os desafios frente à crescente e irreversível longevidade populacional (aba Senioridade).

No Passo 2, deixaremos claro que, principalmente na última década, com os avanços da tecnologia e da medicina, os idosos mudaram e não são mais os mesmos, estão muito mais jovens, ativos e com projetos de vida. (aba  Nova Senioridade)

No Passo 3, apresentaremos o que é o Coaching, seus pressupostos, benefícios, tipos e o diferencial do Coaching Integral Sistêmico em relação ao tradicional e comentaremos algumas ferramentas como as PPS, MAAS, Matriz de Formação de Crenças, e o objetivo maior do Coaching: transportar as pessoas do Estado Atual ao Estado Desejado. (descrito nas abas Coaching e Coaching Integral Sistêmico).

No Passo 4, falaremos sobre um dos pilares mais presentes na vida de todos nós, o Profissional, explicitando a importância que o Trabalho tem na vida das pessoas, discutiremos um pouco da influência das múltiplas inteligências no trabalho, inclusive da espiritual, de como o fator humano foi mudando ao longo do tempo e dos tipos de sociedades, SOAR um fantástico perfil comportamental, dos estilos de liderança, do sentido do trabalho, da significância dos valores, missão e visão na vida da pessoa, do quanto é importante se preparar para a temida/sonhada aposentadoria e encerrar bem o 1º Tempo da Vida; e introduziremos como o processo de Coaching pode gerar mudanças positivas nesta fase de pré aposentadoria, ajudando a pessoa a se organizar nessa transição trabalho/aposentadoria. (aba Trabalho)

No Passo 5, trataremos de tudo o que se refere à aposentadoria, sentida por alguns como prêmio e por outros como castigo, mas certamente uma fase de transição que deve ser encarada com suas perdas mas também seus ganhos, comentaremos as 5 gerações e seus valores e perspectivas, os aspectos positivos e os negativos da aposentadoria, entre estes a depressão e suicídio. Ainda vislumbraremos como está se processando a nova cara da aposentadoria, através de uma transição flexível, pois a maioria ao se aposentar, atualmente, quer ser sim aposentado, mas não quer ser inativo. Falaremos brevemente daqueles que retornam ao trabalho, daqueles que optam por uma segunda carreira e os executivos de mentes brilhantes, que permanecem liderando suas equipes e transmitindo o vasto conhecimento adquirido ao longo da carreira. Nesse ponto, já teremos bastante embasamento para entrar no 2º Tempo da Vida, com a ideia da Desaposentadoria e vontade de tornar-se um Desaposentado; e obviamente o Coaching aparece como o agente propulsor que poderá contribuir enormemente na construção de um novo projeto de vida, para ser vivido de forma saudável e alegre na Senioridade. (aba Aposentadoria)

No Passo 6, discutiremos a Nova Senioridade, o que é envelhecimento ativo, as descobertas da Neurociência sobre a Neuroplasticidade, os desafios e avanços da longevidade, o que a busca de um sentido de viver pode significar nessa fase especial, idosos que optaram por viverem bem, mesmo distante de suas famílias, em Instituições de longa permanência para idosos (ILPI) ou em locais de excelência e munidos de corpo multidisciplinar como apoio. (aba Melhor Tempo)

No Passo 7, será a vez de unirmos nossos dois principais temas: a Senioridade e o Coaching. Destacaremos as fases da Senioridade, suas reações e sensações comentando, a importância do autoconhecimento, da autorresponsabilidade, onde citaremos suas 6 Leis, uma visão ampliada da vida. Falaremos sobre os pressupostos para envelhecer bem e fechando com chave de ouro apresentaremos 7 dicas de como o Coaching pode ser útil para termos qualidade de vida hoje, e nos prepararmos para na Senioridade “estrearmos” a melhor versão de nós mesmos, uma versão plena, abundante e muito feliz. (aba Senioridade e o Coaching)