Category Archives: Dicas de Leitura Coaching+50

Dica de Leitura 13 – Ansiedade: como enfrentar o mal do século – Augusto Cury

Posted on by 0 comment image

Ansiedade-Como-Enfrentar-o-Mal-do-Seculo-coachingmais50.com.br

Ansiedade: como enfrentar o mal do século – 35ª obra do Dr. Augusto Cury, psiquiatra, cientista, pesquisador e o escritor mais lido da década, com livros publicados em mais de 70 países.

Augusto Cury estuda o cérebro humano há mais de 30 anos. Desde o final dos anos 1990, escreve livros relacionados a seus conhecimentos sobre memória e construção do pensamento – misturados com uma boa dose de análise de comportamento. Em Ansiedade ele dá nome novo para um drama velho, que só se agrava e apresenta a Síndrome do Pensamento Acelerado – SPA, a torrente de conversas que a mente mantém com a gente, em meio ao frenético burburinho de informações que não param de chegar.

Ele explica que a SPA é produzida por uma hiperconstrução de pensamentos, numa velocidade tão alta que estressa e desgasta o cérebro. O resultado emocional é desastroso, há consequências para o corpo e a mente. Pensar é bom. Com consciência crítica, é excelente. Mas pensar excessivamente e sem gerenciamento é uma bomba contra a mente livre. E impede o desenvolvimento de funções da inteligência, como refletir antes de reagir, expor e não impor ideias, exercer a resiliência, colocar-se no lugar do outro.

Os sintomas da SPA: fadiga, dores de cabeça e musculares, irritabilidade, sofrimento por antecipação, dificuldade para trabalhar com pessoas lentas, transtorno do sono e déficit de memória.

Cury adverte que considera a SPA mais nociva que a depressão, pois segundo a Organização Mundial da Saúde, 20% das pessoas estão deprimidas. Já a SPA ocorre, provavelmente, em 80% de adultos, crianças e adolescente e o resultado é uma sociedade de hiperpensantes, sempre inquietos, sem foco e sofrendo por antecipação.

A SPA tem traços semelhantes aos da hiperatividade, como inquietação, dificuldade de concentração e de elaborar experiências. Por isso, muitos médicos confundem os dois transtornos e prescrevem indiscriminadamente ritalina (derivado da anfetamina, que estabiliza a dopamina e a noradrenalina no cérebro, atenuando a agitação e melhorando a concentração).Os professores também estão perdidos. Para aliviar a ansiedade das crianças com SPA, são necessárias atividades lentas e elaboradas, contato com a natureza, pintura, tocar instrumentos, praticar esportes e jogos com desafios.

O excesso de informação, de trabalho intelectual, de atividades diárias, de preocupações; excesso do uso de smartphones e games, isso tudo estimula fenômenos cerebrais e inconscientes que acessam a memória com uma velocidade nunca antes vista.  Ele chama um desses fenômenos de autofluxo, que tem como objetivo acessar a memória milhares de vezes para trazer imagens mentais e pensamentos e com o excesso, a mente humana fica superexcitada e acaba sofrendo um desgaste sem precedentes.

O livro alerta que a sociedade moderna, consumista e rápida, nos faz adoecer coletivamente. Nos tornamos reféns de nossa mente e precisamos treinar nosso Eu a dar um choque de lucidez em cada pensamento perturbador. Isso é um treino diário, onde temos de impugnar cada ideia, cada sofrimento por antecipação, para não registrar a experiência ruim e não empulhar nossa memória com dados inúteis.

Devemos pensar no futuro apenas para traçar metas.Não devemos sofrer por antecipação. Não podemos dispensar o presente, único momento que temos para ser estáveis e felizes.

 

Dica de Leitura 12 – A Boa Sorte- Alex Rovira Celma, Fernando Trias de Bes

Posted on by 0 comment image

 

a-boa-sorte_coachingmais50.com.brO livro começa com o reencontro de dois amigos de infância que não se viam havia 50 anos. Um deles foi muito bem-sucedido, enquanto o outro só colheu fracassos. O segredo daquele que se tornou próspero sempre esteve em uma fábula que seu avô lhe contara quando era criança e que lhe serviu de guia ao longo dos anos. Através da história dos dois amigos, os autores procuram apresentar o estudo que fizeram sobre os principais fatores que trouxeram a Boa Sorte para pessoas que se tornaram bem-sucedidas e tem como objetivo, discutir o entendimento de que existem diferenças entre Sorte e Boa Sorte, sendo a Sorte algo que pode ser passageira e a Boa Sorte algo que deve ser criada pela pessoa e assim ser duradoura.

São 10 Lições  simples e diretas, regrinhas básicas para contemplar, perceber e produzir a Boa Sorte, todas dependem uma da outra para que algum objetivo seja conquistado. São contadas através de uma fábula de dois Cavaleiros que querem alcançar um mesmo objetivo: encontrar um trevo de 4 folhas.

O trevo deve ser encontrado em um lugar específico onde todos acreditam não ser possível florescer, mas tanto o Cavaleiro Branco, quando o Cavaleiro Negro seguem para a floresta em busca dele. Entre árvores, lagos, animais e uma natureza que ajuda, ou não, um cavaleiro vai fazendo o possível para se assegurar de seu sucesso enquanto o outro acredita apenas no que está à sua frente.

Na mensagem do livro não há grandes segredos ou formulações complicadas, sendo possível acrescentar tais conhecimentos em nossa vida cotidiana e presenciar efeitos positivos, percebendo que nós devemos estar alertas em relação à tudo que existe e acontece ao nosso redor e entender que a Boa Sorte e a Sorte são situações de percepção e depende de nós criar condições favoráveis, agir, persistir e confiar no que está fazendo, da melhor maneira possível e assim conquistar a tão almejada Boa Sorte!

 

Dica de Leitura 11 – O Motorista e o Milionário – Joachim de Posada e Ellen Singer

Posted on by 0 comment image

motorista e milionário_coachingmais50.com.br

Neste livro, Joachim de Posada e Ellen Singer nos ensinam uma História sobre Escolhas que nos levam ao Sucesso! Aprendemos, através de parábolas,como podemos nos transportar e nos imaginar parte dos acontecimentos, o que facilita muito a absorção e compreensão de conceitos e idéias. 

O livro nos apresenta a Teoria dos Bombons em uma parábola cotidiana muito valiosa e nos faz refletir:   O que um motorista pode aprender com um milionário? E vice-versa?

A resposta é que nem sempre o sucesso está atrelado ao que você é, mas ao que você faz e como faz.

A TEORIA DO BOMBOM

A história é simples: Algumas crianças foram colocadas em uma sala, sentadas em suas carteiras de estudo. De repente, chega um cidadão e deixa um bombom em cada carteira, olha para todos e diz: “Quem resistir, e não comer o bombom até eu voltar, vai ganhar outro”. Assim, ele sai sem dizer quanto tempo demoraria para voltar. Ele volta dali a uns minutos e quem esperou, ganhou outro bombom 

Quem não comeu o primeiro bombom, ganhou outro, dobrando seu investimento em menos de um dia. A pesquisa foi mais longe e constatou que essas crianças cresceram e quem esperou pelo segundo bombom ficou muito melhor que aquele que comeu, rapidamente, a guloseima. 

A mensagem do livro é óbvia e propõe um exercício simples, que mostra os benefícios de se planejar e saber se controlar diante das “ótimas” oportunidades de negócios (bombons) que surgem, diariamente, diante de nós:

“A capacidade de adiar a gratificação faz toda a diferença do mundo. Responda: um milhão de dólares hoje ou, como alternativa, um dólar duplicado todos os dias durante 30 dias? O que você prefere? Nossa atitude diante de um problema, ou como reagimos a ele, é mais importante do que o incidente propriamente dito”

Impressionante, mas a segunda alternativa é mais valorosa, eu fiz o teste, confira: 

Se pegar o número 1 e multiplique  X 2 e assim sucessivamente, até completar 30 multiplicações, encontrará como resultado de 30 dias:

1 – 2 – 4 – 8 – 16 – 32 – 64 – 128 – 256 – 512 – 1.024 – 2.048 – 4.096 – 8.192 – 16.384 – 32.768 – 65.536 – 131.072 – 262.144 – 524.288 – 1.048.576 – 2.097.152 – 4.194.304 – 8.388.608 – 16.777.216 – 33.554.432 – 67.108.864 – 134.217.728 – 268.435.456 – 536.870.9121.073.741.824

Não interprete tudo isso como uma maneira fácil e rápida de enriquecer, mas como uma lição simples de atenção ao que você faz hoje. Como a certeza de que essas atitudes agora trarão consequências lá  na frente.

“O importante é o que você faz com os recursos que tem hoje: como usa seus talentos, conhecimentos, personalidade, persistência, dinheiro e capacidade para resistir aos bombons. Não importa se sua meta é uma promoção, um carro, status de milionário ou a admiração dos colegas, o sucesso depende da sua habilidade de apreciar – mas não devorar – suas conquistas iniciais e de agir de maneira coerente com seus objetivos”

Estratégias simples –  o  Livro descreve, através de curtas perguntas, um guia simples para facilitar o controle das finanças e a busca pelo sucesso.

  • O que você precisa mudar?
  • Quais são seus pontos fortes? E os fracos?
  • Quais são suas principais metas?
  • Qual o seu plano?
  • O que você está fazendo para transformar o plano em ação?

 

O Livro termina com uma palavra forte e motivadora: perseverança!

 

Assista no nosso canal do You Tube – Coaching Mais50 o vídeo de Joachim de Posada – Não coma os marshmallows  (crianças latinas) –  no TED  https://youtu.be/aldnKInx48g

 

Dica de Leitura 10 – Foco – Daniel Goleman

Posted on by 0 comment image

Dica de Leitura 10 – Foco – Daniel Goleman

foco_coachingmais50.com.brNo livro  Foco, Daniel Goleman defende que, em um momento em que a tecnologia e o excesso de informação geram distrações a cada minuto, criou-se uma geração sem foco, com dificuldade de desenvolver a capacidade de concentração. Mas, para ele, a atenção é como um músculo que pode ser treinado. E quem consegue chegar lá tem ideias melhores e mais criativas.

É o que fazia Bill Gates quando presidia a  Microsoft, nos anos 90. Em períodos que chamava de “semanas para pensar”, ele passava uma quinzena numa casa no campo para pensar sem interrupções.Jack Welch, o lendário presidente mundial da multinacional americana General Electric, reservava uma hora por dia para simplesmente olhar pela janela.

Daniel Goleman diz que estamos sem tempo para refletir e sem essa pausa não conseguimos digerir o que está acontecendo ao redor. Os circuitos cerebrais usados pela concentração são os mesmos que geram a ansiedade. Quando aumenta o fluxo de distrações, a ansiedade tende a aumentar na mesma proporção.Precisamos ter um momento, no trabalho e na vida, para parar e pensar. Sem concentração, perdemos o controle de nossos pensamentos. Mas o oposto, quando estamos muito atentos, também é um problema. Nos tornamos vítimas de uma visão restrita e da mente estreita. É preciso dar equilíbrio a isso.

O melhor exercício é criar um período em que as interrupções sejam proibidas. Isso significa não ter reuniões, receber ligações, ver e-mails ou ter contato com qualquer outra fonte de distração. Isso pode ser feito antes do trabalho ou durante o expediente, em uma sala de reuniões por pelo menos 10 minutos.

Os chefes precisam entender que, para ter bons resultados, suas equipes devem ter tempo para se concentrar. E isso significa dar a oportunidade a elas de ter momentos sem interrupções. No Google, por exemplo, os funcionários têm sido incentivados a parar por alguns minutos durante o dia e prestar atenção na própria respiração. Isso faz com que o circuito do cérebro responsável pela concentração seja ativado.

Segundo os estudos de Goleman  existem três tipos de foco: o interno, o externo e o empático (voltado para o outro). O interno é a habilidade de se concentrar, apesar do que há ao redor. O externo é a capacidade de análise do ambiente. E o empático é a competência de prestar atenção em alguém.

Para saber quando e como usar cada um na situação certa. O foco interno, por exemplo, é a chave para o profissional se motivar, ter metas, se controlar. Todos os profissionais precisam disso. O foco externo ajuda na leitura dos sistemas de maneira ampla.É com ele que conhecemos quem são os competidores, como está o mercado, a economia e quais são as mudanças tecnológicas. Sem isso, ninguém consegue ter um bom resultado. A empatia é importante para quem quiser ser um bom líder. Ela é a forma como entendemos e falamos com as pessoas. Só com ela um profissional saberá como motivar quem está ao redor. Não importa quais são as metas, todo mundo precisa de pessoas para alcançá-las. Ou seja, todas são importantes.

Entendendo que exercitar o foco é importante. Realizar uma tarefa e, só depois, ver as notícias ou responder a um e-mail. A melhor forma de fazer isso é dando recompensas. Você só pode acessar um site que deseja depois de terminar determinada atividade que planejou.

Referência: http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/1056/noticias/nao-temos-tempo-para-refletir

 

Dica de Leitura 9 – Peça e será atendido – Esther e Jerry Hicks

Posted on by 0 comment image

Dica de Leitura 9 – Peça e será atendido – Esther e Jerry Hicks

peça e será atendidocoachingmais50.com,brO livro Peça e será atendido, de Esther e Jerry Hicks – Livraria Sextante* contém ensinamentos formidáveis. É comum,  desejarmos não ter alguma coisa mais do que ter algo e embora essa seja uma atitude inconsciente, ela é a principal responsável pela dificuldade que temos em alcançar nossos objetivos. Como os pensamentos deveriam ser a expressão de nossos desejos, toda essa negatividade acaba atraindo o oposto do que queremos. Essa é a ideia principal do livro que nos estimula a identificar nossos verdadeiros sonhos e a criar as condições para realizá-los.

A fonte dessas revelações é Abraham, o guia espiritual que inspirou Esther e Jerry Hicks a compartilhar conosco essas valiosas lições.

Com sensibilidade e clareza, os autores mostram o que devemos fazer para atrair aquilo que queremos – melhorar a saúde, equilibrar as finanças, redefinir nossas prioridades, aumentar a auto-estima ou aprimorar os relacionamentos.

Dividido em duas partes, o livro apresenta inicialmente uma visão do mundo capaz de transformar nossa vida, substituindo a negatividade por otimismo, coragem e alegria, ingredientes fundamentais para o sucesso e a realização. Na segunda parte traz 22 exercícios que nos ajudam a colocar em prática esses ensinamentos e nos levam ao encontro da essência de nossos desejos, fazendo com que eles sejam atraídos naturalmente para nós.

Peça e será atendido é indicado para qualquer pessoa que deseja ser mais feliz, saudável, próspera ou que se pergunta por que tem de esperar tanto para realizar seus sonhos, este livro vai mostrar que a forma como desejamos as coisas está diretamente ligada às nossas chances de obtê-las.

Isso acontece porque somos ligados ao Universo, e, quando não estamos em sintonia com ele, nossos verdadeiros desejos podem ser mal compreendidos. Reverter essa situação, no entanto, é mais fácil do que se imagina: basta mudar nossa maneira de pensar, deixando de lado o pessimismo e nos tornando mais abertos às oportunidades que a vida nos traz.

Além de explicar como esse fantástico fluxo de energia acontece no dia-a-dia, o livro apresenta técnicas eficientes que irão facilitar a conquista de nossos objetivos. Você vai descobrir como relacionamentos, problemas de saúde, carreira, finanças e outros assuntos são influenciados pelas leis do Universo e aprender a fazê-las trabalhar a seu favor.

Referência: *http://www.sextante.com.br/

 

Dica de Leitura 8 – O Segredo de Rhonda Byrne

Posted on by 0 comment image

osegredo_coachingmais50.com.brO livro “O Segredo”,  de Rhonda Byrne é  mais completo q o filme,  alguns  assuntos que não foram abordados no filme estão presentes no livro.

Neste livro, você aprenderá como usar O Segredo em cada aspecto da sua vida – dinheiro, saúde, relacionamentos, felicidade, e em cada interação que você tem no mundo. Você começará a entender o poder oculto e inexplorado dentro de você e esta revelação pode lhe trazer muita alegria em cada aspecto de sua vida.

O Segredo contém a sabedoria de mestres contemporâneos — homens e mulheres que usaram-no para alcançar saúde, riqueza, e a felicidade. Ao aplicar o conhecimento de O Segredo, eles trazem à tona, histórias extraordinárias para curar doenças, adquirir riquezas, superar obstáculos, e alcançar o que muitos considerariam como impossível.

Eles nos explica que: Tudo o que entra em sua vida é você quem atrai, por meio das imagens que mantém em sua mente. É o que você está pensando. Você atrai para si o que estiver se passando em sua mente.

 

BOB PROCTOR: O que você vê na sua mente é o que vai ter na mão. Repita isso para si mesmo e deixe isso penetrar em sua consciência e percepção. Seus pensamentos se transformam em coisas!

Portanto, se você tem um pensamento repetidas vezes, se está imaginando ter aquele carro zero-quilômetro, ou ter o dinheiro de que precisa, fundar aquela empresa, encontrar sua alma gêmea… se está imaginando como são essas coisas, você emite essa frequência consistentemente.

Imagine-se vivendo bem, e você atrairá isso. Sempre dá certo, com qualquer pessoa. Quando se imagina vivendo em abundância, você está poderosa e conscientemente determinando sua vida pela lei da atração.

A lei da atração não se importa se você acha algo como bom ou ruim, ou se você o deseja ou não. Ela apenas reage aos seus pensamentos. Portanto, se você pensa em uma montanha de dívidas, sentindo-se péssimo em relação a isso, esse é o sinal que você está propagando no Universo. “Eu me sinto realmente mal por causa de todas as dívidas que contraí.” Você está simplesmente afirmando isso para si mesmo. Você sente isso em cada nível de seu ser. E é disso que você vai ter mais.

Quando se concentra em algo, seja lá o que for, você de fato está fazendo com que ele passe a existir. Quando você concentra seus pensamentos em algo que deseja, e se mantém concentrado, naquele momento você está pedindo o que deseja com o poder mais forte do Universo.

 

JOHN ASSARAF: Eis o problema: a maioria das pessoas pensa no que não quer e se pergunta por que é que isso sempre acontece.O único motivo por que as pessoas não têm o que desejam é que elas pensam mais no que não desejam do que naquilo que de fato desejam.

 

 

Dica de Leitura 7 –Pai Rico, Pai Pobre – Robert T. Kyiosaki e Sharon Lechter

Posted on by 2 comments image

Dica de Leitura 7 –Pai Rico, Pai Pobre – Robert T. Kyiosaki e Sharon Lechter

pai-rico-pai-pobre_coachingmais50.com.brO livro Pai Rico, Pai Pobre, de Robert Kiyosaki, é um clássico da literatura quando tratamos de planejamento de finanças pessoais. Seu conceito é muito simples: com maior inteligência financeira muitos problemas comuns da vida cotidiana podem ser resolvidos.

É aquele tipo de livro que você se pergunta: Por que não li esse livro antes e aprendi algumas lições, que teriam me evitado algumas dores de cabeça?

O título do livro é uma alusão aos dois pais que Robert teve, quando era criança, no Havaí. O pai rico, pai do seu amigo Mike, é quem o ensinou as lições sobre como lidar com finanças, como empreender. Já o pai pobre era o pai biológico, também chamado de pai instruído que, mesmo possuindo mais escolaridade, não falava nada sobre finanças

Já na introdução é falado que as pessoas procuram formas de ganhar dinheiro e que a escola não ensina essa parte. O livro apresenta 6 lições que  Robert aprendera com os dois  pais e como superar obstáculos e colocar os planos em ação.

  •  Lição 1 – Os Ricos Não Trabalham Pelo Dinheiro –
  • Lição 2 – Para que Alfabetização Financeira?
  • Lição 3 – Cuide de Seus Negócios –
  • Lição 4 – A História dos Impostos e o Poder da Sociedade Anônima
  • Lição 5 – Os Ricos Inventam Dinheiro –
  • Lição 6 – Trabalhe para Aprender – Não Trabalhe pelo Dinheiro

 

O livro é bem didático e apresenta 2  conceitos são os seguintes:

O primeiro é baseado na figura  ao lado onde otipos de pai rico autor divide as pessoas e quatro grupos e como cada um desses grupos trata o dinheiro. (E)=empregado, (A)= Autônomo,  (D)= Dono e (I)= Investidor.

Aqueles que estão do lado esquerdo (E e A) em geral alugam seu tempo, mente e corpo para os que estão lado direto (D e I). E em geral os do lado esquerdo ficam cada vez mais pobres e os do lado direito cada vez mais ricos. Os do lado esquerdo são os Pais Pobres e os do lado direto os Pais Ricos.

 

O segundo conceito interessante apresentado pelo autor é o conceito de ativo e passivo.

Passivo: É tudo que tira dinheiro de você.

Ativo: É tudo que trás dinheiro para você.

Parece fácil, mas complica um pouco. Exemplos, segundo o autor seu carro é um passivo porque você só gasta dinheiro com ele – gasolina, óleo, manutenção, IPVA, seguro etc. e no final vende por um valor menor do que comprou.

Ainda a casa  onde você mora, casa de na praia  e sítio –  são passivos . Por outro lado, se você comprar um apartamento para alugar e fizer uma boa administração dele – é um ativo, Investimentos em ações – ativo, comprar a participação em uma empresa – ativo e assim por diante.

Vários outros conceitos me chamaram a atenção:

1) não importa o quanto se ganha, mas sim o quanto se guarda;

2) o modo como o autor diferencia  o Ativo e o Passivo;

3) a ampliação dos conhecimentos, independente do ramo de negócios que venha escolher;

4) aprender a vender bem a sua ideia e a administra-la, independente de qual seja, fará com que tenhamos sucesso;

5) não existe nada de errado em perder dinheiro, o importante é ter a coragem de encarar o medo e o risco;

6)  superar o ceticismo, os ricos que não dão ouvidos ao medo e encaram os desafios;

7) me perguntar sempre “O que tenho que fazer para comprar isto?”;

8) pagar a mim primeiro e depois as obrigações, criando uma nova fonte de motivação;

9) arrogância é ego mais ignorância, não me acomodar e estar sempre em busca de conhecimento e

10) definir os “não quero” e os “quero” na vida, determinando o destino do meu dinheiro, pois a cada nota, decidimos ser rico, pobre ou classe média.

Com certeza um livro que eu recomendo a leitura.

 

Dica de Leitura 6 (dupla) – As 5 linguagens do amor e As 5 linguagens do perdão – Gary Chapman

Posted on by 0 comment image

Dica de Leitura 6 (dupla) – As 5 linguagens do amor e As 5 linguagens do perdão – Gary Chapman

as5linguagensdoamor_coachingmais50.com.brAs Cinco linguagens do Amor – Há tempos estudam as diferenças gritantes no jeito de ser e de agir de homens e mulheres. O que continua sendo um dilema é como fazer dar certo uma relação entre duas pessoas que às vezes parecem ter vindo de planetas distintos. Compreender essas diferenças é parte da solução e é nisso que Gary Chapman pode nos ajudar. 

Com mais de 30 anos de experiência no aconselhamento de casais, ele percebeu que cada um de nós adota uma linguagem pela qual damos e recebemos amor. Quando o casal não entende corretamente a linguagem predominante de cada um, a comunicação é afetada, impedindo que se sintam amados, aceitos e valorizados.

Neste livro sobre relacionamentos, ele não só explica as cinco linguagens como apresenta um questionário para os maridos e outro para as esposas descobrirem a sua linguagem de amor. Além disso, uma seção especial de perguntas e respostas vai esclarecer todas as suas dúvidas e lhe dar o direcionamento sobre como expressar melhor seu amor a seu cônjuge e ajudará você a compreender a forma dele manifestar o amor.

Gary Chapman identificou cinco formas através das quais as pessoas expressam e recebem as manifestações de amor:

– palavras de afirmação

– tempo de qualidade

– presentes

– atos de serviço

– toque físico

Aprendam, você e seu cônjuge, a se comunicar através dessas linguagens e experimentem como é ser realmente amado e compreendido.

as5linguagensdoperdão_coachingmais50.com.br

As cinco Linguagens do Perdão – Sabemos que pedir desculpas e perdão não é fácil, como também não é nada fácil aceitar e perdoar os outros pelos seus erros. Como saber o jeito certo de se desculpar? Como ter certeza de que o pedido de perdão transmitirá sinceridade e sensibilizará a parte prejudicada?

Em As cinco linguagens do perdão, os experientes conselheiros Gary Chapman e Jennifer M Thomas abordam com competência este delicado e importante processo nos relacionamentos: o pedido de perdão — talvez o mais difícil, por envolver humildade e coragem, além de imprevisibilidade do resultado. Eles analisam dezenas de casos e relatos, apontam as principais barreiras, identificam as cinco áreas de maior sensibilidade das pessoas e oferecem orientação prática para obter a cura pessoal e o restabelecimento das relações.

O livro é um Guia, de estudo em grupo, dividido em 14 partes, e foi criado para maximizar os esforços de aprendizado por meio de diálogos e dinâmicas de mo-tivação. Útil para o estudo em grupos pequenos, no ambiente detrabalho, clubes bíblicos ou mesmo no lar, com o cônjuge ou alguma pessoa amiga, ele proporciona crescimento pessoal, que se potencializa conforme as lições são compartilhadas entre os participantes. Você pode criar seu grupo a partir da abordagem que melhor lhe convier. Há ainda aqueles que dão preferência a usar este guia durante um retiro de fim de semana, ou mesmo sozinho, para enriquecimento pessoal. A estrutura é bem simples, mas tem grande potencial de impacto nos relacionamentos pessoais.

 

Dica de Leitura 5 (dupla) – O Poder do Agora e Praticando o Poder do Agora – Eckhart Tolle

Posted on by 0 comment image

Dica de Leitura 5 ( dupla) – O Poder do Agora  e Praticando o Poder do Agora – Eckhart Tolle

p poder do agora_coachingmais50.com.br

Nós passamos a maior parte de nossas vidas pensando no passado e fazendo planos para o futuro. Ignoramos ou negamos o presente e adiamos nossas conquistas para algum dia distante, quando conseguiremos tudo o que desejamos e seremos, finalmente, felizes. Mas, se queremos realmente mudar nossas vidas, precisamos começar neste momento. Essa é mensagem simples, mas transformadora de Eckhart Tolle: viver no Agora é o melhor caminho para a felicidade e a iluminação.

Combinando conceitos do cristianismo, do budismo, do hinduísmo, do taoísmo e de outras tradições espirituais,Tolle elaborou um guia de grande eficiência para a descoberta do nosso potencial interior. Este livro é um manual prático que nos ensina a tomar consciência dos pensamentos e emoções que nos impedem de vivenciar plenamente a alegria e a paz que estão dentro de nós mesmos.

VOCÊ NÃO É A SUA MENTE –  Este é o maior obstáculo para a Iluminação 

Leia  parte do capítulo 1 e reflita:

Por mais de trinta anos um mendigo ficou sentado no mesmo lugar, debaixo de uma marquise. Até que um dia, uma conversa com um estranho mudou sua vida:

– Tem um trocadinho aí pra mim, moço? – murmurou, estendendo mecanicamente seu velho boné.

– Não, não tenho – disse o estranho. – O que tem nesse baú debaixo de você?

– Nada, isso aqui é só uma caixa velha. Já nem sei há quanto tempo sento em cima dela.

– Nunca olhou o que tem dentro? – perguntou o estranho.

– Não – respondeu. – Para quê? Não tem nada aqui, não!

– Dá uma olhada dentro – insistiu o estranho,antes de irembora .

O mendigo resolveu abrir a caixa. Teve que fazer força para levantar a tampa e mal conseguiu acreditar ao ver que o velho caixote estava cheio de ouro.

Eu sou o estranho sem nada para dar, que está lhe dizendo para olhar para dentro. Não de uma caixa, mas sim de você mesmo. Imagino que você esteja pensando indignado: “Mas eu não sou um mendigo!”

Infelizmente, todos que ainda não encontraram a verdadeira riqueza – a radiante alegria do Ser e uma paz inabalável – são mendigos , mesmo que possuam bens e riqueza material . Buscam, do lado de fora, migalhas de prazer, a provação, segurança ou amor, embora tenham um tesouro guardado dentro de si, que não só contém tudo isso, como é infinitamente maior do que qualquer coisa oferecida pelo mundo.

A palavra iluminação transmite a idéia de uma conquista sobre-humana – e isso agrada ao ego –, mas é simplesmente o estado natural de sentir-se em unidade com o Ser. É um estado de conexão com algo imensurável e indestrutível. Pode parecer um paradoxo, mas esse “algo” é essencialmente você e, ao mesmo tempo, é muito maior do que você. A iluminação consiste em encontrar a verdadeira natureza por trás do nome e da forma. A incapacidade de sentir essa conexão dá origem a uma ilusão de separação, tanto de você mesmo quanto do mundo ao redor. Quando você se percebe, consciente ou inconscientemente, como um fragmento isolado, o medo e os conflitos internos e externos tomam conta da sua vida.

Adoro a definição simples de Buda para a iluminação: “É o fim do sofrimento.” Não há nada de sobre-humano nisso, não é mesmo? Claro que não é uma definição completa. Ela apenas nos diz o que a iluminação não é: não é sofrimento. Mas o que resta quando não há mais sofrimento? Buda silencia a respeito, e esse silêncio implica que teremos de encontrar a resposta por nós mesmos. Como ele emprega uma definição negativa, a mente não consegue entendê-la como uma crença, ou como uma conquista sobre-humana, um objetivo difícil de alcançar. Apesar disso, a maioria dos budistas ainda acredita que a iluminação é algo apenas para Buda e não para eles próprios, pelo menos, não nesta vida. Você usou a palavra Ser. Pode explicar o que quer dizer com isso?

 

praticando o poder do agora_coachingmais50.com.brEste é um manual que ensina a viver o momento presente..Além de servir como uma excelente introdução aos ensinamentos do autor, reunindo trechos cuidadosamente selecionados traz técnicas, exercícios e meditações para alcançar a paz e a iluminação. Tolle conduz os leitores a uma nova maneira de pensar (ou melhor, de não pensar), eliminando a espera, o medo e a preocupação com o passado e o futuro.

 

Dica de Leitura 4 – Picos e Vales – Spencer Johnson

Posted on by 0 comment image

Dica de Leitura 4 – Picos e Vales – Spencer Johnson

Picos e Vales_coachingmais50.com.brDo mesmo autor do best seller Quem Mexeu no Meu Queijo?, Spencer Johnson presenteia seus leitores com uma narrativa de superação e aprendizado.

Picos e Vales relata a história de um jovem que vive infeliz até encontrar um senhor que mora em uma montanha. Após conversas e experiências, o jovem aprende a refletir sobre os caminhos que escolheu e percebe que, entre dois picos, há sempre um vale: um momento de avaliação das decisões tomadas e de concentração nos objetivos a serem alcançados. Contada com brilhantismo do autor que já vendeu mais de um milhão de cópias em todo mundo, Picos e Vales e uma história de sabedoria e êxito, que convida o leitor a fazer uma jornada pelos próprios altos e baixos e a usar suas lições para vencer.

Aprendizado – As pessoas devem aproveitar todos os momentos de suas vidas, sejam eles bons (Picos) ou ruins (Vales).  Importante aprender a se manter mais tempos em seus Picos e sair bem de seus Vales, porque devemos encarar os altos e baixos da vida como alavancas para mudar o que estava acontecendo com três regras: como sair de um Vale mais rápido; como permanecer num Pico por mais tempo e como ter mais Picos e menos Vales no futuro. 

O único responsável pelos meus Picos e Vales sou eu mesmo, quando valorizo o que tenho alcanço um Pico e quando sinto falta de algo que ainda não tenho permaneço no Vale.

Impactante o momento em que o velho relembrou ao jovem, da  chegada deste ao Pico, que disse ter perdido o pôr do sol e nem tinha observado a beleza do céu  repleto de estrelas.  Ele havia realizado seu projeto de subir ao Pico, porém ao chegar no topo, ao invés de valorizar sua conquista e se sentir bem e feliz, simplesmente lamentou pelo que não tinha, logo, ele transformou um Pico pessoal em Vale.

Aprendemos que os Picos e Vales só estressam quando a pessoa desce e sobe com eles. E devemos aprender a equilibrar, aprendendo administrar meus momentos com sabedoria, pois que se  não estivermos preparados para estar em um Pico, logo desceremos ao Vale. Que quanto menos comparação fizermos com as pessoas que estão melhores e souber aproveitar o que há de bom naquilo, mais próxima ficarei de alcançar um novo Pico. Que sempre temos duas opções: mudar o que está acontecendo ou o modo como sentimos sobre o que está acontecendo.

Outra parte que chama a atenção – quando o jovem  diz que “deveria desejar direito”, porque só desejar não conduz a atitude alguma, não tira ninguém do lugar que está. Que a forma mais correta de chegar ao topo de seus sonhos, é mantendo a sua verdade, descobrir o bem oculto e, sobretudo sendo humilde, ensinando aqueles que podem estar perdidos. Fala da importância da visualização, que a imaginação é uma força transformadora, e quando a pessoa toma a decisão de sair do ponto onde está, seja  qual Vale tenha que ultrapassar para chegar, atingirá o Pico  mais elevado e nele se manterá.

A Sabedoria estar em apreciar o caminho e não só a chegada, portanto aproveite os momentos bons e ruins em seu trabalho e em sua vida.