Durante séculos, as diferenças entre homens e mulheres foram definidas socialmente e distorcidas através da lente do sexismo, momento em que os homens assumiram superioridade sobre as mulheres e as mantinham por meio da dominação.  O tempo passou, outros valores foram sendo agregados, embora recentes pesquisas revelaram distorções, discrepâncias salariais entre postos de trabalho (masculinos x femininos) nos inúmeros segmentos de mercado. Longe de propor comparações aos leitores, minha proposta é enaltecer as qualidades que as mulheres já comprovaram e na maioria das vezes nos servem de exemplo, inspiração e cooperação. Optei pelo texto não como defesa ao sexo (gênero), mas sim ao modo usual quase institucionalizado sobre o assunto.

Certa feita, ministrava palestra num grande veículo de comunicação televisiva e constava do “script” que ao final do evento fossem premiados os destaques do ano. Perguntei à campeã da categoria (top) que resumisse em uma frase os atributos vitoriosos da sua equipe, ela foi enfática:  “abolimos o… se gente pode complicar para que vamos então facilitar?”. A força dessa frase impactou-nos, pois marcou a diferença entre ser efetivamente um destaque, ou pertencer ao time do deixa estar, o que sugere ponderação, equilíbrio, foco e postura de agente facilitadora.

Curiosamente, as mulheres têm quatro vezes mais células cerebrais (neurônios) que liga o lado direito e esquerdo do cérebro. Têm um acesso mais eficiente a ambos os lados, portanto, maior uso de seu hemisfério direito. Podem se concentrar em mais um problema de cada vez, frequentemente preferem resolver problemas através de múltiplas atividades ao mesmo tempo. Vou confessar a vocês que tentei fazer o mesmo, apenas tentei.

Dada a importância da mulher no mercado empreendedor brasileiro e na gestão eficaz, dentre muitas instituições renomadas, o SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio a Pequenas e Médias Empresas) criou prêmios:  Mulheres Empreendedoras, Mulheres de Negócios. Na área internacional determinada edição do prêmio “Mulheres Influentes” realizado pela revista Forbes mencionou quem eram as “poderosas” em vários setores e outras personalidades femininas mais influentes do mundo, desde Michelle Obama, primeira dama dos Estados Unidos a executiva Irene Rosenfeld, CEO da Kraft Foods no comando de 127 mil funcionários em 170 países, e vai por aí afora pois ficaria horas mencionando-as.

E vamos incluir também todas as doutoras em desenvolvimento infantil e relações humanas. São mulheres que cumulam inúmeras responsabilidades e jamais ficariam fora da lista: Maria é dona de casa, minha protagonista de hoje representando milhões delas tem a palavra – “sou responsável por uma equipe e já recebi quatro projetos. Trabalho em regime de dedicação exclusiva. O grau de exigência é de 14 horas por dia, às vezes até 24 horas. Minha equipe é formada por uma menina com 14 anos, outra com 8 e outra com 3, e meu mais novo projeto, um bebê de sete meses testando uma nova tonalidade de voz”. E Maria completa…os ouço em todas suas necessidades. “Mãe, onde está meu sapato? Mãe me ajuda a fazer a lição? Mãe, o bebê não para de chorar. Mãe, me busca na escola? Mãe, você vai assistir a minha dança? Mãe, e por vai”. Sendo eu uma doutora em desenvolvimento infantil e em relações humanas, o que seriam as avós? Doutoras seniores em desenvolvimento infantil e em relações humanas; as bisavós, doutoras executivas seniores; as tias, doutoras-assistentes; e todas as mulheres, mães, esposas, amigas e companheiras, doutoras na arte de fazer a vida melhor. Pensei: quão fantásticas essas mulheres citadas, talvez merecedoras de salários de pelo menos cinco mil reais? Dez mil?

Existem três tipos de pessoas: as que deixam acontecer, as que fazem acontecer e as que perguntam o que aconteceu? (John Richardson Jr.) Concluo que a maioria das mulheres estão inseridas na 2ª. alternativa; “FAZEM AS COISAS ACONTECEREM”. A nós homens recorremos ao mestre; “Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas.” (Charles Chaplin). Unamo-nos, ainda nessa geração chegaremos aos 100 anos.

Agradeço a colaboração da talentosa amiga, Stela Freitas (Atriz e Coach).

Roberto Botelho

Roberto Botelho

Palestrante, Consultor, Jornalista – Executivo Treinamento, Educação Corporativa

FONTE: https://www.linkedin.com/pulse/o-incontest%C3%A1vel-talento-feminino-roberto-botelho